BLH – ESTRATÉGIA PARA ERRADICAÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL

RedeBLH

(colaboração Bel Levy)

O Congresso científico reúne especialistas de 23 países em Brasília para discutir desafios, propor soluções e planejar o futuro

Especialistas nacionais e internacionais que compõem o Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano (IberBLH) estarão reunidos em Brasília de 28 e 30 de setembro, durante o V Congresso Brasileiro / I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, para discutir desafios, propor soluções e planejar o futuro da iniciativa. Liderado pela Fiocruz, o IberBLH integra 23 países empenhados em coletar, processar e distribuir leite humano para recém-nascidos, sobretudo os prematuros de baixo peso, que apresentam forte vulnerabilidade imunológica. A iniciativa é reconhecida como estratégia primordial para o enfrentamento da mortalidade infantil e neonatal – meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

O coordenador da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RedeBLH), o engenheiro de alimentos João Aprigio Guerra de Almeida, explica que a experiência brasileira, inaugurada na década de 1940, tornou-se modelo internacional a partir dos resultados conquistados em curto prazo. “Em pouco tempo comprovamos o impacto positivo da amamentação natural – e dos bancos de leite humano – na recuperação de recém-nascidos internados em unidades neonatais e na assistência às mães em fase de aleitamento”, o pesquisador descreve e aponta que, em longo prazo, o resultado obtido com a estratégia é a redução da mortalidade infantil, com ênfase na preservação da vida e da saúde de bebês.

Desde 1985, os bancos de leite humano constituem a política brasileira de saúde pública para enfrentamento da mortalidade infantil e neonatal. A estratégia é tão bem sucedida que, em 2001, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu a RedeBLH como a ação que mais contribuiu para a redução do problema no mundo, na década de 1990.

“Os resultados brasileiros mostraram à comunidade internacional a função dos bancos de leite humano no contexto da saúde pública, como estratégia de segurança alimentar e nutricional para qualificação da atenção neonatal e a redução a mortalidade infantil. Em 2009, atendemos 170 mil bebês e 1.400.000 mulheres com dificuldades de amamentação em todo o mundo”, João Aprigio resume. Hoje, a cooperação internacional liderada pelo Brasil, por meio da Fiocruz, integra bancos de leite humano instalados ou em fase de implantação na América Latina, Europa e África.

Reconhecendo a importância da cooperação internacional para o enfrentamento da mortalidade infantil e neonatal em escala global, o V Congresso Brasileiro / I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano promove, dia 27 de setembro, o Fórum de Cooperação Internacional em Bancos de Leite Humano. O encontro avaliará a trajetória dos países que compõem o IberBLH e os resultados obtidos desde 2005, quando foi assinada a primeira Carta de Brasília, durante o Fórum Latinoamericano de Bancos de Leite Humano.“O objetivo é multiplicar as conquistas e identificar as fragilidades de cada país, de cada banco de leite humano. Só assim poderemos crescer ainda mais e aprimorar a iniciativa. A avaliação será consolidada na Carta de Brasília – 2010”, João Aprigio apresenta.

*Destaques da Programação*

- *Ciência e tecnologia em bancos de leite humano*

A RedeBLH é sustentada por pesquisas científicas, desenvolvimento tecnológico e geração de conhecimento nas áreas biológica, política, social e cultural. Durante o congresso, serão destacados estudos sobre a adequação da qualidade do leite humano e o impacto da amamentação natural na recuperação da saúde de recém-nascidos internados em unidades neonatais.

- *Responsabilidade social e cidadania*

O congresso também será espaço para divulgação de iniciativas da sociedade civil que colaboram para a implantação e o funcionamento de bancos de leite humano. Além do Brasil, a Argentina apresentará as ações de apoio à sua rede nacional de bancos de leite humano.

- *Experiências brasileiras*

O Brasil é modelo internacional para bancos de leite humano. Durante o congresso, serão apresentadas experiências de destaque e resultados inéditos em todo o mundo, como a autossuficiência de Brasília para distribuição de leite humano* *a recém-nascidos internados em UTI neonatal; a maior rede estadual de bancos de leite humano do mundo, em São Paulo; a implantação e o funcionamento de unidades de coleta, processamento e distribuição de leite humano em regiões isoladas, como a Amazônia; e a interação com povos indígenas, que acontece no Mato Grosso do Sul.

- *Experiências internacionais*

Os frutos da cooperação internacional liderada pela RedeBLH serão discutidos a partir da experiência de parcerias consolidadas e de países em fase de implantação dos bancos de leite humano. Primeiro país a formalizar a cooperação internacional com a RedeBLH, a Venezuela apresentará sua trajetória de 15 anos na área. A Guatemala compartilhará os resultados de seu pioneirismo na América Central: o primeiro banco de leite do país já opera como núcleo de rede, para replicar a experiência a outras cidades.

 

_______________________

V Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano
I Congresso Iberoamericano de Bancos de Leite Humano
Assessoria de Comunicação
[email protected]
twitter.com/redeblh
Bel Levy

No related posts.

Related posts brought to you by Yet Another Related Posts Plugin.

One Response to “BLH – ESTRATÉGIA PARA ERRADICAÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL”

  1. Hey awesome site! Gentleman. Great. Incredible. We’ll take note of your website plus use the rss feeds also? I’m happy to seek out quite a few very helpful info throughout this post, we need come up with additional methods this specific consider, many thanks for discussing.

    [Reply]

Leave a Reply

See also: