PARA TODOS QUE LUTAM PELA VIDA, UM FELIZ NATAL!!!

POR UM PARTO RESPEITADO

fonte: comunidade facebook: Por un parto respetadofonte: ”El miedo a saber es, en el fondo, miedo a hacer, porque todo conocimiento entraña una responsabilidad”. Abraham Maslow

Fonte:” O medo do saber é, no fundo, o medo de fazer, porque todo conhecimento está relacionado a uma responsabilidade”. Abraham MasloW (Comunidade facebook: Por Un Parto Respetado)

Comemoração do Dia Nacional de Doação de Leite humano 2012

Querido Anjinho:

Só a sua presença já faz diferença!

Graças a você eu tenho ânimo de dispor do meu tempo, de renunciar o que me dá prazer para pensar constantemente em você…
Penso nas mães que hoje também tem mais anjinhos como você.
Eu me pergunto: “Como elas devem se preocupar também, não é mesmo?”
Esse seu sorriso me faz esquecer das tristezas que passei, pois, só de lhe ver assim tão pequenino e aparentemente frágil ponho-me a combater pela vida de muitos outros anjinhos como você!!!
Estou nesta luta há 17 anos, acredito que estudando, pensando e conversando com gente adulta quem sabe eu possa contribuir de alguma forma para você ter seu alimento garantido diretamente de sua mamãezinha! E a sua mamãezinha, quem sabe possa querer também ajudar outros anjinhos como você!!
Saiba que do fundo do meu coração eu desejo que não só você mais todos os anjinhos que estão nascendo e já nasceram possam ter sua identidade garantida, sejam respeitados e amados por todos os cidadãos brasileiros.
Eu quero oferecer meu tempo, meus estudos, o meu amor e meu trabalho para ver anjinhos como você muito felizes sendo amamentados, recebendo doação de leite de outras mães, crescendo saudáveis e felizes, fortalecidos por nossa Nação: o Brasil!!!

PARABÉNS PARA TODOS AQUELES QUE  DEDICAM SUAS VIDAS PELO FORTALECIMENTO DE UMA REDE DE APOIO SOCIAL À DOAÇÃO DE LEITE HUMANO!!!

 

 

 

Social support network of woman milk donor in the Federal District, Brazil Preview note

 

Rede de apoio social à doadora de leite humano no Distrito Federal, Brasil – Nota Prévia

 

Abstract: This study’s main objectives are to know how the social support network has been structured for the human milk donation and comprehend how the information delivered to potentials donors are perceived by them. The social support is understood as a group of different actors, including persons and institutions. Mapping the social network of human milk donation is a strategic procedure that represents great importance for social actors involved in the milk donation process: relatives participating in the family’s dynamics, as well as external systems, which have important influence on interactions and behavior of the donation. These interactions represent a secure and active instrument to ensure that is possible to make visible and valuable social links and relational and material resources to support the donation. This research may provide elements to understand the donation’s behavior and sustain educational campaigns related to human milk donation, contributing to strengthen the donor’s social network and plan strategic actions.

Key-words: Milk, human; gift giving; health public policy

Situação problema e sua significância: No que se relaciona à promoção e incentivo ao aleitamento materno, os Bancos de Leite Humano (BLHs) brasileiros têm se constituído estrategicamente, nos últimos anos, elementos importantes dessa política estatal. Desde a primeira unidade implantada no país em 1943, o sistema passou por uma série de mudanças ideológicas em sua prática institucional1,2,3. Mesmo diante do reconhecimento da importância dos BLHs para a manutenção da vida de inúmeros receptores, no Distrito Federal (DF) os estoques de leite humano encontram-se abaixo do esperado.

Questões norteadoras: Como se caracterizam as interações das doadoras com pessoas e instituições em seu convívio social? Como pode ser descrita a rede social de apoio à doação a partir do significado apreendido pela doadora de leite humano?

Objetivos: Geral: Analisar a percepção das doadoras dos BLHs sobre a rede de apoio social à doação de leite humano no DF. Específicos: 1) Caracterizar o perfil sociodemográfico de mulheres doadoras de leite humano cadastradas em BLHs da rede pública e privada de saúde do DF; 2) Mapear a rede social das mulheres doadoras de leite humano; 3) Compreender o significado da relação entre as doadoras com a sua rede social; 4) Analisar o significado da rede social para a prática da doação; 5) Identificar informações captadas pelas participantes da pesquisa que possam ser utilizadas para sensibilizar outras mulheres para doação durante o pré-natal e puerpério.

Hipótese: A inexistência de uma rede de apoio social à doadora de leite humano criteriosamente definida determina a existência de baixos estoques de leite humano doado para os bancos de leite humano do DF.

Metodologia: Trata-se de estudo de metodologia quantitativa e qualitativa, de corte transversal. Estratégia de coleta de dados: entrevista com base em questionários com questões fechadas e da apresentação de representação geométrica de tipos de rede e da representação gráfica dos tipos de vínculos na rede social de cada uma das participantes com intuito de mapear a rede social de cada uma delas. Público alvo: doadoras cadastradas nos 15 BLHs integrantes da rede pública e privada de saúde do Distrito Federal. Etapas da coleta de dados: ETAPA I: estudo piloto, avaliação da adequação do instrumentos de coleta elaborados para a pesquisa e do procedimento de coleta de dados proposto, com assinatura do TCLE. ETAPA II: aplicação dos instrumentos de coleta estruturados validados, com assinatura do TCLE.

Bibliografia de referência:

1. Griboski RA, Guilhem DB, Branco JDC. Adolescent, Sexuality and Situations of Vulnerability. A Qualitative Study. Online Brazilian Journal Nursing [online] 2007; [Capturado em 21 Jul. 2011]; v. Esp. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2007.1061/240

2. Alencar LCE de, Seidl EMF. Doação de leite humano: experiência de mulheres doadoras. Rev Saúde Pública 2009 fev; 43(1):70-7.

3. Alencar LCE de, Seidl EMF. Doação de leite humano e apoio social: relato de mulheres doadoras. Rev Latino-Am Enfermagem 2010 mai-jun; 18(3):381-9.

Dados do projeto: Projeto de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde. Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília. Aprovado no exame de qualificação em 16/11/2009 pela banca composta por: Dra. Dirce Bellezi Guilhem (orientadora), Dra. Wilma Maria Coelho Araújo (1º membro), Dra. Ivone Kamada (2º membro) e Dr. Elioenai Dornelles Alves (membro suplente). Aprovado no CEP da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, Protocolo 256/2011, CAAE: 02370013000-11. Endereço para correspondência: Campus Universitário Darcy Ribeiro, Caixa Postal 4554, Asa Norte, Brasília-DF, CEP: 70910-900. E.mail: [email protected] e [email protected]

Apoio financeiro à pesquisa: Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal.

Equipe de pesquisa: Coordenação: Profa. Dra Dirce Guilhem (orientadora), Pesquisadores: Prof. Dr. João Aprígio Guerra de Almeida (co-orientador), Profa. Dra. Leides Barroso Azevedo Moura, Ms Lucienne Christine Estevez de Alencar, Profa. Dra. Rita de Cássia Coelho de Almeida Akutsu e Profa. Dra. Wilma Maria Coelho Araújo.

fonte:

ALENCAR, L., GUILHEM, D., ALMEIDA, J.. Social support network of woman milk donor: cross sectional study. Online Brazilian Journal of Nursing, North America, 10, oct. 2011. Available at: <http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3535>. Date accessed: 25 Sep. 2012.

 

SEMANA MUNDIAL DE AMAMENTAÇÃO NO DF

 

 

Informe UnB- 20ª Semana Mundial do Aleitamento Materno

COMEMORAÇÃO DA SEMANA MUNDIAL DA AMAMENTAÇÃO NO DF

SES promove amamentação no Parque da Cidade

(06/08/2012 – 16:15)

 

A inauguração da primeira sala de apoio à amamentação destinada a servidoras do GDF, no Palácio do Buriti,  será o marco do encerramento da  Semana Mundial de Aleitamento Materno, nesta terça-feira(7), às 11h. A semana, que contou com diversas atividades promovidas pelos Bancos de Leite , propôs uma análise sobre o que aconteceu nos últimos 20 anos com a alimentação do lactente e da criança.

 

A Sala de Apoio é  apadrinhada pela primeira dama, Ilza Queriroz, numa iniciativa da Secretaria de Saúde, por meio do Programa de Aleitamento Materno, em parceria com o Rotary Club e da Casa da Amizade, ambos de Taguatinga Norte. Segundo a coordenadora do Programa, Miriam Santos, “o objetivo é dar condições para que a mãe volte da licença maternidade e tenha condições de dar prosseguimento ao aleitamento materno”.

 

A sala conta com mobiliário, freezer e  material necessário para retirar e acondicionar o leite materno. Diariamente, a mãe poderá pegar o leite que foi armazenado durante o dia, guardar em um isopor e levar para casa para a alimentação  do filho no dia seguinte. Segundo  Miriam, ao chegar em casa a mãe também poderá optar por armazenar o leite no freezer e utilizá-lo num prazo de até 15 dias.

 

Essa é a primeira sala de apoio instalada pelo GDF, atendendo à política de  incentivo à amamentação do Ministério da Saúde, com estrutura para atender 400 mulheres em idade fértil, incluindo as servidoras e funcionárias de empresas contratadas. A próxima sala será montada no edifício sede da Secretaria de Saúde e as demais, nas diversas secretarias de governo. De acordo com a coordenadora, o Banco de Leite de Santa Maria e do Hospital Regional da Asa Sul já contam com salas dessa natureza para atenderem as mães que trabalham nessas instituições.
Arielce Haine/SES-DF

 

Incentivo à amamentação no Parque da Cidade – No fim de semana o Parque da Cidade foi palco de mais um evento alusivo à 20ª Semana Mundial de Aleitamento Materno. Nesse domingo, 05, em mais uma ação da Secretaria de Saúde do DF – SES, mães e futuras mães puderam tirar dúvidas e aprender a importância da amamentação nos primeiros anos de vida do bebê. A Semana é comemorada em mais de 120 países e, no Brasil, o tema este ano é “Amamentar hoje é pensar no futuro”.

 

Na abertura da cerimônia, a primeira dama do DF, Ilza Queiroz, afirmou que como mãe e como médica obstetra sabe a importância de amamentar e aconselha o ato a suas pacientes. “O leite materno é preparado para suprir o bebê; suas condições imunológicas. A amamentação é um momento de aproximação, de conhecimento para mãe e filho”. Além disso, complementa a médica, “a mulher só atinge a maturidade de sua mama quando amamenta, ato que também diminui o risco de se contrair câncer de mama”. Ela mesma amamentou seus filhos até os dois anos.
Elias Fernando Miziara, secretário- adjunto da SES, enfatizou a importância da amamentação e da doação de leite com o próprio exemplo. “Sou filho de uma gestação gemelar e minha irmã, por ter saúde mais frágil, demandou mais leite materno que eu. Por isso, tive várias mães de leite”. Segundo ele, eventos como esse visam estimular o hábito natural da amamentação, “que é tão importante para a saúde da criança, por obter alimento e anticorpos, e por aumentar o laço com a mãe para o resto da vida.” O secretário-adjunto também enfatizou a referência dos bancos de leite humano do DF em diversos países e a criação da sala de amamentação no Palácio do Buriti, cujo exemplo, ele espera, seja seguido por outras secretarias do DF, órgãos federais e privados.
Equipes dos bancos de leite humano das regionais de saúde do DF e de hospitais privados orientaram mães sobre a alimentação correta durante a amamentação, os benefícios  tanto para mãe quanto para o bebê, além de outros cuidados com a criança.
Janaína Alves Lustosa, 29 anos, deu à luz João Inácio há 1mês e 15 dias. O parto foi realizado na rede privada, mas, segundo ela, não se sentiu acolhida quanto às orientações sobre amamentação e, por isso, recorreu ao banco de leite da regional de Sobradinho, onde recebeu informações e para o qual hoje é doadora.  Mesmo tendo grandes dificuldades no início da amamentação, ela não desistiu. “Saber que ele vai ficar saudável, se desenvolver melhor, vale o sacrifício”, finaliza Janaína.
Outra mãe e defensora da amamentação é Flávia Krecke, 28 anos. Flávia é mãe de Pietra, 2 anos, e Marc, 2 meses e amamenta os dois. “Amamentar, para mim, é prioridade absoluta, se um deles quiser mamar, paro tudo”. Questionada de até quando irá  amamentar ela afirma “até quando eles quiserem”.
A Coordenadora Geral dos Bancos de Leite Humano do DF, Mirían de Oliveira Santos, lembrou que o DF é considerado modelo para o Brasil e para o mundo há 50 anos quando se fala em banco de leite e amamentação. Segundo ela, as equipes trabalham o futuro da cidade. A coordenadora fez questão de enfatizar o importante trabalho de coleta de leite humano realizado pelo Corpo de Bombeiros do DF, que também prestigiou o evento com sua banda.
Após a solenidade, os participantes se divertiram  ao som do Forró e do rap da Amamentação, interpretados pelos alunos do Centro de Ensino 201 de Santa Maria, do Coral Mirim do Corpo de Bombeiros de Samambaia, além das atividades voltadas para as crianças como o Soletrando da Amamentação e das apresentações de palhaços.  O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu deu dicas de primeiros socorros voltados para bebês e crianças.
O evento  teve ainda a participação da Secretária da Criança, Rejane Pitanga, da Secretária da Mulher Olgamir Ferreira, da representante da Coordenação da Ação de Aleitamento da Área Técnica da Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Amanda Moura. Também colaboraram o Corpo de Bombeiros do DF, o Rotary Clube Taguatinga Norte e o Lions Clube Brasília/Taguatinga.

 

Michelle Paixão

 

Semana Mundial de Aleitamento Materno no DF

Será no próximo dia 5 de agosto, pela manhã, próximo ao estacionamento 12 do Parque da Cidade.
Contamos com a sua presença e apoio!

Bancos de leite do DF estão com os estoques baixos, diz secretaria GDF

12/07/2012 10h35 – Atualizado em 12/07/2012 10h52

Bancos de leite do DF estão com os estoques baixos, diz secretaria

GDF diz que situação é mais grave em hospitais de Brazlândia e Asa Sul.
Mãe pode fazer doação em casa; leite é recolhido por bombeiros.

Do G1 DF

Os 16 bancos de leite do Distrito Federal estão com estoque baixo e precisam de doações com urgência. De acordo com a coordenadora dos bancos de leite da Secretaria de Saúde, Míriam Oliveira Santos, a situação é mais grave nos hospitais de Brazlândia, Asa Sul, Sobradinho e Planaltina.

O leite é usado para alimentar bebês internados com baixo peso ou doentes. Segundo dados da Secretaria de Saúde, em meio deste ano 1.090 crianças foram beneficiadas com as doações. Já em junho esse número caiu para 980. Em 2011, foram 12.372 atendimentos.

De acordo com a coordenadora  Mirian Santos, nos períodos de férias, como é o caso dos meses de junho e julho, os bancos sempre sofrem baixas. Ela enfatiza que qualquer quantia arrecadada é bem-vinda.

“A falta de informação é umas das maiores dificuldades que temos. Muitas mulheres coletam 100 ml, por exemplo, mas deixam de doar por achar que é pouco. Só que 10 ml podem salvar a vida de um prematuro internado em uma UTI neonatal”, disse.

Atualmente, todo o leite doado é usado para bebês com o estado de saúde debilitado, que ainda não têm capacidade de sugar no seio materno. “O ideal era ter leite para atender à demanda externa, de mulheres que estão com dificuldade de amamentar. Mas, infelizmente, isso não é possível. O nosso leite mal dá para suprir as necessidades dos bebês hospitalizados, que precisam desses nutrientes”, declarou Mirian dos Santos.

De acordo com a coordenadora, o leite materno possui defesas que possibilitam às crianças doentes e frágeis condições de se recuperar melhor, crescer e adquirir peso.

Doação
O leite deve ser acondicionado em vidros de boca larga e com tampa de plástico, fervidos previamente por 15 minutos. Após a coleta, o recipiente deve ser colocado imediatamente no freezer de casa, onde pode ficar no máximo 15 dias armazenado.

Interessadas em doar leite materno podem se dirigir aos postos de coleta das regionais ou solicitar que uma equipe do Corpo de Bombeiros busque o alimento em casa. Durante a coleta, é importante lavar bem as mãos e prender os cabelos para evitar que os fios caiam no vidro. As mães precisam estar em perfeitas condições de saúde para doar.

Veja os telefones dos Bancos de Leite do DF:

BLH HFA (Forças Armadas) – 3966-2250

BLH HRAN (Asa Norte) – 3325-4207

BLH HRAS (Asa Sul) – 3445-7597

BLH HRBZ (Brazlândia) – 3479-9643

BLH HRC (Ceilândia) – 3372-9652

BLH (Gama) – 3384-0337

BLH (Planaltina) – 3388-9794

BLH HRPA (Paranoá) – 3369-9980

BLH HRS (Sobradinho) – 3387-3993

BLH HRSM (Santa Maria) – 3392-6287

BLH HRT (Taguatinga) – 3352-6900

BLH HUB (Universitário de Brasília) – 3448-5391

P. de Coleta São Sebastião – 3339-1125

P. de Coleta HRSAM (Samambaia) – 3458-9811

FONTE: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2012/07/bancos-de-leite-do-df-necessitam-de-doacoes-com-urgencia.html

 

CONVITE!!

Mais um ano na luta pela doação de leite humano!!!